Notícias

Voltar para as notícias

44ª Formatura do Programa Miniempresa conta com participação de Gilberto Petry, paraninfo da turma

08/12/2016

Diante de cerca de mil pessoas, entre estudantes, familiares e amigos, o paraninfo da 44ª turma de formandos do Programa Miniempresa, da Junior Achievement RS, Gilberto Petry, presidente da Sinmetal, lembrou que a entidade já formou 15 mil miniempresários e que segue estimulando as novas gerações a seguirem a trilha do empreendedorismo.

Em seu discurso, lembrou a sua trajetória profissional de ex-funcionário do Banco do Brasil, quando renunciou à sua estabilidade, pediu demissão e foi buscar desafios inicialmente como consultor empresarial e logo em seguida como empresário. No evento, que reuniu 238 jovens de escolas públicas e privadas do Rio Grande do Sul, nesta terça-feira, às 19h, no Teatro do SESI, o paraninfo da turma foi direto ao ponto que tem mobilizado o Brasil: "Nos tempos atuais não dá mais para usar meias palavras. Precisamos assumir, de uma vez por todas, de que para mudar a cara do País, é preciso reafirmar valores que parecem que ficaram esquecidos. Ética, trabalho e visão no bem estar coletivo, sem contudo deixar de pensar na individualidade das pessoas, importante característica, a meu ver, para que surjam os grandes empresários".

Na visão do empresário que dirige um sindicato com mais de 75 anos de atividades, com uma base territorial de 412 municípios no Estado, onde estão instaladas 5 mil empresas que geram, "apesar de toda crise que vivenciamos mais de 80 mil empregos", o país vive uma crise sem precedentes de destruição de empregos. "Este processo é resultado da globalização da economia, que estabelece uma competição sem precedentes na história mundial onde a proteção dos mercados domésticos perdeu sua eficácia, embora os últimos resultados eleitorais nos USA, Áustria e Grã-Bretanha com o Brexit podem estar começando a questionar isso", diz.
Ao lado do presidente da JARS, o advogado tributarista Sérgio Lewin, Gilberto Petry disse que diante das dificuldades do estado brasileiro nos níveis federal, estadual e municipal "cada vez mais, o setor público deixará de representar o papel de grande empregador e talvez indutor do desenvolvimento, para restringir sua atuação às prioritárias áreas da segurança, educação, saúde e infraestrutura".

Segundo ele, os malefícios do inchamento da máquina pública são plenamente evidentes no Rio Grande do Sul, onde décadas de pródigas benesses concedidas sem levar em conta o que isso poderia acarretar no futuro aos cofres públicos levaram à atual situação de insolvência de nosso Estado, forçando a adoção de medidas de ajustes que passaram a ser compulsórias se não quisermos ter um futuro pior ainda. "Portanto, a conclusão é mais do que evidente, teremos menos empregos formais e sim postos de trabalho, onde quem for empreendedor contará com um diferencial decisivo". destaca.

No final de seu discurso voltou a cumprimentar a Junior Achievement por dar oportunidade aos jovens "para que eles possam ser vencedores, proporcionando a todos e a cada um desses jovens o ferramental necessário para que possam desenvolver o seu potencial". E para concluir deixou o conselho para que os jovens não desistam nunca dos seus sonhos. "Eles são fundamentais para a realização de seus objetivos", encerrou.